Como parar de beber

Veja como parar de beber e vencer o alcoolismo

Como parar de beber, muito se escreve obre esse tema, mas como também vencer o alcoolismo é o que mostraremos. Segundo estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil se encontra na terceira posição com mais mortes ocasionadas pelo álcool. São mais de 300 mil mortes que acontecem todos os anos na América Latina em virtude do uso do álcool. Entre as doenças relacionadas ao alcoolismo que possuem uma alta taxa de mortalidade podemos destacar principalmente a cirrose com a causa das mortes.

Um estudo recente da OPAS (Organização Pan Americana de Saúde) apontou que as mortes em virtude  do consumo do álcool ocorre em 73,9 entre 100 mil homens, enquanto nas mulheres a incidência ocorre entre 11,7 a cada 100 mil mulheres.

O consumo do álcool entre as mulheres subiu de 4,6% para 13%, assim também nos homens o consumo subiu de 17,9% para 29,4%. Ainda conforme a OPAS o maior risco acontece entre jovens de 15 a 19 anos, faixa etária em que o consumo de bebidas alcoólicas é maior do que o de outras drogas. Afinal nesta etapa da vida os jovens estão mais propensos a se tornarem alcoólatras na idade adulta.

No Brasil o Ministério da Saúde aponta que o consumo exagerado de álcool em qualquer idade acarreta uma série de doenças causadas pelo álcool, conforme descrito abaixo:

  • -Alterações no sistema nervoso;
  • -Pancreatite;
  • -Diabetes;
  • -Aterosclerose;
  • -Insuficiência hepática;
  • – Síndrome de Wernicke-Korsakoff;
  • -Câncer;
  • -Gastrite;
  • -Úlceras;
  • -Hipertensão;
  • -Risco de ter um AVC (Acidente Vascular Cerebral);
  • – Síndrome do alcoolismo fetal;
  • -Cirrose;

Consumo de bebidas e a cirrose alcoólica

A Organização Mundial da Saúde aponta que a cirrose não é uma doença exclusiva pelo consumo de álcool, mas a maior parte das pessoas que desenvolveram a cirrose faziam o consumo abusivo de bebidas alcoólicas. A doença ataca o fígado provocando a sua inflamação, além disso diversas cicatrizes aparecem. Em casos em que a cirrose alcoólica está evoluída o paciente não pode fazer mais uso do álcool já que pode ocorrer a falência geral do fígado. Além disso, o alcoólatra que sofre de cirrose deve observar outras doenças como a esteatose que é o acúmulo do gordura no fígado.

Além dos problemas de saúde gerados pelo consumo de bebidas alcoólicas, as pessoas tem uma visão de que elas ao beberem socialmente decerto não correm nenhum risco de se tornarem alcoólatras.

O alcoolismo pode ser considerada uma doença grave e que exige cuidados da família para com o alcoólatra, principalmente no sentido de dar apoio e incentivá-lo a largar o vício do álcool.
 

Como parar de beber – Conheça os sinais que caracterizam um alcoólatra:

  • Bebem:
    • diariamente e sem motivos aparentes;
    • mesmo se distanciando a família, emprego, bem como do convívio social;
    • sozinhos;
  • Também acabam perdendo o emprego, bem como o ano de estudos;
  • Agressividade;
  • Sensação de falta do álcool, ao logo do dia;
  • Não conseguem parar de beber por conta própria;Quadro de paranoia e alucinações;
  • Sempre arrumam uma desculpas para beber;
  • Se afastam de pessoas queridas, familiares a fim de beber;
  • Evitam locais onde o consumo de álcool não é permitido;
  • Evitar mostrar para as pessoas próximas que estão bebendo;
  • Quase não comem direito;
  • Sofrem de tremores;
  • Passam a perder a memória;

Outro ponto é que o alcoólatra passa a ter dificuldades em dormir, bem como apresentam amnésia em virtude da intoxicação do álcool. Apresentam falhas na coordenação motora e costumam se envolver em acidentes de trânsito, já que perdem a referência dos movimentos e a noção de espaço e profundidade.

Como parar de beber – Alcoolismo tem cura?

O alcoolismo é uma doença grave e não possui cura, mesmo que o alcoólatra tenha deixado de beber ainda assim ele deve manter uma vigilância para o resto da vida a fim de evitar uma recaída e consiga verdadeiramente parar de beber.

Artigo complementar para: “Como parar de beber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *